ARX. UM HOMEM HONRADO.
 

ARX. UM HOMEM HONRADO.

 

Fernando Montalvão é titular do Escritório Montalvão  Advogados Associados, ex-presidente da OAB-Paulo Afonso – BA, com  diversos trabalhados publicados em jornais e em sites jurídicos.

 

A  última 5ª feira, infelizmente, foi de forte impacto negativo. Faleceu Arx Tourinho em acidente de veículo na cidade de Salvador, cidade onde residia e adorava. Um ilustre baiano. Arx era um homem de expressão nacional. Todos nós perdemos. Perdeu o Brasil, a Bahia, especialmente, a comunidade acadêmica, a família e os amigos.

 

Para se ter uma idéia da perda com a morte de Arx, indico alguns predicados dele em vida: era advogado militante, um guerreiro, Procurador da República, professor de Direito Constitucional no curso de Direito da UFBA, ex-presidente da OAB-BA no biênio 91/93, quando o conheci, Conselheiro Federal da OAB. Era um ardente defensor do direito de cidadania. Tinha posições definidas e não tinha medo, o medo não fazia parte de sua advocacia e nem no desempenho de suas funções. Como membro do Conselho federal da OAB alcançou expressão nacional.

 

Em 1991 me candidatei ao cargo de Presidente da OAB-Paulo Afonso para o qual fui eleito, nas mesmas eleições que Arx se elegeu Presidente da OAB-BA. Até aí não o conhecia e nem votei com ele por sustentar um raciocínio que posteriormente verifiquei ser equivocado. Para mim, sendo Arx de tradicional família da Capital e Procurador da República, já uma expressão na comunidade jurídica baiana, estaria distanciado do dia a dia dos advogados, principalmente dos advogados que não tinham a mesma  expressão dele e dos residentes no interior da Bahia. Ledo engano. O meu questionamento foi equivocado e o que eu questionei foi por ele  transformado  na defesa intransigente que fazia para o pleno exercício da advocacia, e isso eu vou dizer porque. Arx era um homem de convicção, de idéias, independente, honrado e íntegro. Arx era um  grande homem.

 

Quando assumi a presidência da OAB-Paulo Afonso, encontrei as Comarcas localizadas no nordeste baiano em petição de miséria. Em Paulo Afonso somente havia duas Varas, uma Cível e outra Criminal. Há sete anos não era realizada uma Sessão do Tribunal do Júri,  embora houvesse 361 processos  somente da competência da Corte Popular. Assim como nas demais faltavam serventuários, promotores, defensores, juizes, enfim, a situação era precária. Mantive um embate sem quartel com o Juiz de uma das Varas de Paulo Afonso. De posse de um minucioso relatório levei ao conhecimento de Arx e demais membros da Diretoria Estadual, ao Dr. Cintra, então Procurador Geral da Justiça no Estado, ao Des. Mário Albiani,  então Presidente do TJBA, conseguindo ampla cobertura por parte do Jornal A TARDE.   Travamos uma luta árdua. Conseguimos grande avanço.

 

Denunciei a impunidade reinante e a partir daí recebi de Arx um apoio sem precedente. Para prestigiar nossa OAB em duas oportunidades Arx promoveu Seminários em Paulo Afonso e me deu o suporte necessário para sustentar nossas reivindicações. Queria realizar uma reunião do Colégio de Presidente Subsecionais e um Encontro de expressão Estadual, entre nós. Pelas dificuldades da época com o transporte e falta de leitos na rede hoteleira local  não foi possível.  Passei a encontrar sempre com Arx em salvador, nas Reuniões da OAB e no Tribunal, em encontro em Juazeiro, e foi gratificante participar da inauguração da Sede da OAB, onde ainda está. Junto com as autoridades públicas, Prefeitos, juizes, entidades não governamentais, conseguimos a designação de Promotores para as Comarcas, instalação dos Juizados Especial Cível e de defesa do Consumidor em Paulo Afonso, defensores para as Comarcas de Paulo Afonso e Jeremoabo, instalação das Comarcas de Glória, Rodelas, Abaré e Macururé, sendo muitas as conquistas.

 

Arx foi um homem formidável. Carinhosamente me  chamava por Fer-nan-do, isso mesmo, soletrando. Os fatos estão documentados na OAB-Paulo Afonso e em meus arquivos pessoais, e se de futuro  for organizado um memorial  para Arx terei o prazer de fornecer cópias ou mesmo os originais de matérias veiculadas em jornais, fotografias e etc... A notícia da morte de Arx que me foi trazida por meu sobrinho, também advogado, Wagner Montalvão, quando então a emoção tomou conta de mim. Adeus amigo Arx.

 

 

Paulo Afonso, 10.01.2005. Fernando Montalvão.

 

MONTALVÃO, Fernando. ARX. UM HOMEM HONRADO. Inserido em 21.05.2005. Paulo Afonso – BA. Disponível em: http://www.montalvao.adv.br/plexus/artigos.asp

 

 

 
 
Autor
 
Fernando Montalvão.