ÚLTIMA SEMANA E MANFESTAÇÃO DO VOTO
 
No próximo dia 26 o Brasil conhecerá quem o dirigirá pelos os próximos 04 anos, optando pela reafirmação do processo de mudança e de conquistas sociais com Dilma, ou se optará pelo retrocesso com Aécio. Quem decidirá o resultado será a militância, não apenas a militância partidária, porém, a militância do eleitor que já escolheu o seu candidato que deverá convencer o amigo, o vizinho, o colega de trabalho ou a comunidade que exerça influência e tenha respeito a votar em seu candidato com base em dados concretos, traçando paralelo entre os Governos Lula-Dilma e os Governos do PSDB. O perigo deverá ser dito que será o liberalismo e as perdas que advirão se Aécio ganhar. A militância de Paulo Afonso é estranha. Vejo no facebook que houve uma reunião da militância em Paulo Afonso para discutir sobre o 2º turno das eleições. Aqui é assim. Reúne-se meia dúzia para de futuro dizer que a vitória de Dilma foi de poucos a auferir benefícios, quando quem elege é maioria do povo brasileiro. Não é bom, exemplo. Particularmente eu gosto de atentar para os números internos das pesquisas que revelam as tendências. Na pesquisa do Vox Populi, Dilma liderava numericamente a intenção de votos, com empate técnico, o mesmo acontecendo nas pesquisas do IBOPE e do Datafolha que deram liderança numérica para Aécio, com empate técnico entre ele e Dilma. Eu escolhi a Presidente Dilma como minha candidata e tive a observar os números internos das pesquisas divulgadas pelo IBOPE e o Datafolha. Pelo IBOPE, Aécio lidera no Sul com margem com certa folga, 61% a 33%, no Sudeste lidera com 48% a 38%, com margem apertada, região que inclui São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espirito Santo. No NE, Dilma lidera com folga, 59% a 32%, e se promoveu uma distorção no Centro-Oeste e Norte, juntando-as como uma mesma região, com 46% para Aécio e 43% para Dilma, quando as situações são distintas. No 1º turno Dilma recebeu 54,54% dos votos no Amazonas, 53,18% no Pará e 69,56% dos votos no maranhão. Dilma tem crescido no Sul, Sudeste e Centro Oeste, especialmente no Sudeste que reúne os três maiores colégios eleitorais do País, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Dado relevante diz respeito quanto à certeza dos eleitores de quem ganhará a eleição. 49% dizem que Dilma é favorita a ganhar, enquanto 40% reservam para Aécio. Aumentou o grau de rejeição a Aécio diminuiu em relação à Dilma. A aprovação do governo dela é de 72% (Ótimo e bom 39% e regular 33%). Quanto à maneira de governar, cresceu o índice de aprovação e diminuiu o índice de desaprovação o que vale dizer, segundo a perspectiva Aécio bateu no teto que tinha para bater, com tendência de queda e Dilma com tendência de alta, o que é atestado pelos números. Ela lidera na grande maioria dos Municípios brasileiros, aqueles com até 50.000 hab., com Aécio liderando nos municípios com população entre 50.000 e 500.000 hab., que são poucos contados nos dedos. Nos municípios com população acima de 500.000 hab., a disputa é acirrada, 44% a 42%, com empate técnico, isso com base nos números divulgados pelo IBOPE na última pesquisa. Na Bahia existia apenas uma Universidade Federal e depois dos Governos Lula chegou a quase um dígito. Em Paulo Afonso já temos o curso de medicina. O filho do operário, do artífice, do micro empresário e do agricultor que não tiver ingressado em universidades públicas poderão frequentar Universidades particulares com bolsas de 100 e 50% com o ProUni, o que vale dizer, o Brasil de hoje tem oportunidades para todos. È apenas uma face do Brasil mais justo. Seja qual for o resultado das eleições teremos um País rachado. Eu repito o que diz Chico Buarque na propaganda eleitoral. Em 2010 em votei em Dilma por Lula e agora em 2014 eu voto em Dilma por Dilma. Paulo Afonso, 18 de outubro de 2014. Fernando Montalvão. Montalvão Advogados Associados. www.montalvao.adv.br
 
 
Autor
 
Fernando Montalvão.