Juíza falta à audiência, e réu confesso com prisão decretada é liberado em tribunal da Bahia
 

29/01 às 12h03 - Atualizada em 29/01 às 12h08

BA: com prisão decretada, réu confesso de assassinato é libertado

 Um homem que confessou ter assassinado a ex-namorada no ano passado e que era alvo de um mandado de prisão preventiva deixou o Fórum Ruy Barbosa, em Salvador, pela porta da frente, na manhã de sexta-feira. Rogério Mendes da Silva, 19 anos, foi liberado por uma servidora pública, depois de se apresentar para uma audiência que foi adiada porque a juíza Rosana Passos faltou, "por impedimentos pesssoais".

"Isso é um absurdo. Deu um baile na Justiça", indignou-se o advogado do Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente Yves de Roussan, Maurício Freire, que acompanha o caso. Rogério afirmou ter matado a facadas a estudante Michele Gabriela da Silva Chaves, de 14 anos, no dia 4 de maio de 2010, no subúrbio ferroviário de Alto de Coutos, na capital baiana.

"A audiência foi remarcada para o dia 10 de fevereiro próximo", disse a tal servidora a Rogério, que foi embora às pressas. Os funcionários do tribunal só se deram conta da ordem de prisão preventiva depois que o jovem já havia se retirado.

A assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) informou que, na tarde de sexta, uma equipe formada por um oficial de justiça e policiais militares foram até a casa do acusado para efetuar a prisão. Até o começo da noite de ontem, não havia a confirmação de sua captura.

O TJ-BA também ressaltou que a prisões de acusados não devem ser feitas, obrigatoriamente, durante as audiências.

 
 
Autor
 
Terra